Brasil

Os lançamentos mais esperados do ano no Brasil e no mundo

Avril Lavigne vai renascer, Lana del Rey vai pirar, Madonna e Pearl Jam vão protestar, Ariana Grande vai amadurecer. Por aqui, Nando Reis será “rei” e Seu Jorge vai do churrasco à àrea gourmet. É isso que devemos ouvir em alguns dos principais discos de 2019.

Nesta semana, o G1 mostra o que vai rolar no pop no ano:

  • Música (02/01)
  • Filmes (03/01)
  • Séries (04/01)
  • Shows no Brasil (05/01)
  • Games (06/01)

Entre lançamentos nacionais e estrangeiros, a lista tem 25 álbuns mais esperados para 2019. Há discos com o nome escolhido e o dia marcado (ou ao menos o mês):

  • Meghan Trainor – ‘Treat Myself’ – 25 de janeiro
  • Avril Lavigne – ‘Head Above Water’ – 15 de fevereiro
  • Weezer – ‘Weezer (Black album)’ – 1 de março
  • Lana Del Rey – ‘Norman Fucking Rockwell’ – 29 de março
  • Martnália – ‘Mart’nália canta Vinicius’, janeiro (dia a definir)
  • Marcelo Falcão – ‘Viver – Mais leve que o ar’ – janeiro (dia a definir)
  • The 1975 – ‘Notes on a Conditional Form’ – maio (dia a definir)

Também há títulos escolhidos, mas com datas ainda incertas:

  • Ariana Grande -‘Thank u, next’
  • Kanye West – ‘Yandhi’
  • Mark Ronson – ‘Late Night Feelings’
  • Migos – ‘Culture III’
  • Seu Jorge – ‘O outro lado’
  • Jorge Mautner – ‘Não há abismo em que o Brasil não caiba’
  • Zélia Duncan – ‘Tudo é um’

E ainda temos discos a caminho em 2019, mas ainda com nomes e dias a serem revelados:

  • Madonna
  • Pearl Jam
  • Rihanna
  • Lady Gaga
  • Nando Reis
  • Jards Macalé
  • Maria Bethânia
  • O Terno
  • Roberta Sá
  • Céu
  • Teago Oliveira

Saiba mais sobre cada um dos discos abaixo:

Meghan Trainor

‘Treat Myself’ – 25 de janeiro

O terceiro disco vai mostrar se ela fica ou não no primeiro escalão do pop mundial. Revelada com o hit retrô “All about that bass”, de “Title” (2015), ela emendou o disco “Thank you” (2016). Teve menos impacto, mas ao menos o single “No” foi ao 3º lugar na parada dos EUA. “Treat myself” sairia em agosto de 2018, mas Meghan pediu mais tempo para aprimorar. Será que vale a espera?

Avril Lavigne

‘Head Above Water’ – 15 de fevereiro

Será o primeiro disco de Avril em cinco anos. Foi uma época difícil. Em 2014, ela revelou ter a doença de Lyme, que a deixou por dois anos na cama. A capa mostra ela nua com um violão sobre a água e indica o tom intimista e de superação pessoal – Avril tenta emergir. Espere mais baladas empoderadas como os singles já lançados “Head above water” e “Tell me it’s over” (ouça trecho e comentário abaixo).

Weezer

‘Weezer (Black album)’ – 1 de março

Se tem um disco em que tudo pode acontecer é este, descrito pelo líder Rivers Cuomo como “se os Beach Boys dessem errado”. É o 12º o da banda e o 5º da “série cores”, após azul (1994), verde (2001), vermelho (2008) e branco (2016) – ao qual deve fazer um contraponto “obscuro”. A produção de Dave Sitek funcionou no 1º single, “Can’t Knock the Hustle”, mas azedou no segundo, “Zombie bastards” (clique para ouvir trecho e comentário no podcast G1 Ouviu). Vejamos o resto.

Lana Del Rey

‘Norman Fucking Rockwell’ – 29 de março

Desde já candidato a melhor nome de disco de 2019, “Norman Fucking Rockwell”, o sexto de Lana del Rey, faz citação desbocada no título ao pintor de cenas da vida norte-americana. A amargurada “Mariners apartment complex” (ouça trecho e comentário abaixo) e a gigante “Venice Beach”, com quase dez minutos de duração, indicam que esse deve ser o disco com Lana mais fora da caixinha.

Martnália

‘Mart’nália canta Vinicius’, janeiro (dia a definir)

A filha de Martinho da Vila acentua a leveza do repertório do compositor e poeta Vinicius de Moraes em álbum programado para janeiro. Mart’nália canta Vinicius é o último trabalho como produtor de Arthur Maia, baixista morto recentemente. Maia divide a produção com Celso Fonseca. “A tonga da mironga do kabuletê” é uma das músicas.

Marcelo Falcão

‘Viver – Mais leve que o ar’ – janeiro (dia a definir)

Gravado com músicos como Bino Farias (baixo), Claudio Menezes (guitarra base wah wah), Felipe Boquinha (bateria), Hélio Ferinha (teclados), Marcos Suzano (percussão), além do DJ Negralha (nos scratches e nos efeitos), o primeiro álbum solo do vocalista do desativado grupo O Rappa sai em janeiro. Intitulado “Viver – Mais leve que o ar”, o disco tem produção dividida entre Felipe Rodarte e o próprio Falcão. Com músicas como “Diz aí” e “Eu quero ver o mar”, o álbum mostra Falcão em clima mais pop, com incursões pelo reggae e com discurso de tom social.

The 1975

‘Notes on a Conditional Form’ – Maio (dia a definir)

Esses jovens de hoje em dia têm um tempo diferente. Seis meses depois do sucesso de “A Brief Inquiry into Online Relationships” (de 30 de novembro de 2018), a banda inglesa já promete soltar o quarto álbum. “Notes on a conditional form”. É um disco “irmão” do anterior, que surgiu em conjunto: ou seja, espere mais riffs deliciosos e letra sobre internet e vícios.

Ariana Grande

‘Thank u, next’ – sem data anunciada

Uma das melhores músicas de 2018 é a faixa-título deste disco que sai em 2019 (ouça trecho e comentários abaixo). A música em que Ariana falou dos seus ex-namorados sem sofrência nem vingança mostra como a cantora ex-teen amadureceu. A balada “Imagine”, menos bombástica, é outra já lançada. Sem perder tempo, ela pode superar o já bem-sucedido “Sweetener”, de agosto de 2018.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Para o topo